segunda-feira, 27 de outubro de 2008

PORQUE BASTA UM SORRISO E UM OLHAR...

No meu caso bastou uma risada.

Eu já comentei aqui que apesar de ter me apaixonado varias vezes amei apenas uma. Primeiro dia de aula do ensino medio, é ai que tudo aconteceu. Eu estava parada em um canto esperando o sinal bater para entar na sala, cheguei antes para dar tempo de passar na diretoria e de encontrar a minha sala o que não foi dificil. Eu estava lendo o quadro de anuncios quando escutei a risada mais linda e doce do mundo, senti um frio na barriga e meu coração bateu mais rapido me virei na direção do som mais foi inutil, estava cercada de estudantes que falavam alto e faziam muito barulho, estava começando a achar que tinha imaginado quando a escutei de novo e dessa vez meus olhos pararam na pessoa certa. Ela estava a uns 10 metros de mim acompanhada de 2 garotas e um garoto que a olhava com visivel fascinação e bom, devo dizer que ele tinha motivo para isso pois ela era linda! Senti como se de repente o mudo entrasse em camara lenta, eu não ouvia nada, só via ela seus cabelos loiros presos em um rabo-de-cavalo e o seu sorriso, lindo! O sinal tocou e eu sai do meu tranze dei um ultimo olhar na direção dela pra ter certreza de que não foi uma ilusão e ela olhou pra mim, olhou pra mim e sorriu. Eu quase desmaiei, sorri de volta e o sorriso dela alargou-se, umas das amigas dela deu-lhe um empurrão e apontou para alguma coisa mais alem, elas começaram a andar e quando ela passou por mim não me olhou mais mantinha um leve sorriso nos lábios. Cheguei a minha sala e me sentei na terceira carteira na parede defronte a porta, eu nunca gostei de sentar no meio e muito na frente e no canto podia ficar mais confortavel, o restante de alunos entraram na sala e logo atraz o professor, olhei em direção ao resto da turma vocês devem imaginar o que eu estava procurando né? Mas não, ela não estava na mesma sala que eu, seria muita sorte. Ao final do primeiro periodo quando o professor saiu da sala eu me virei na carteira, sentada atraz de mim estava uma garota riuva eu me apresentei e ela me disse que se chamava Patricia, eu pergutei se ela era nova ali como eu e me disse que não, conversamos ate a chegada da professora com quem teriamos aula no segundo periodo e foi ao final do mesmo que eu tive uma adoravel surpresa, ao olhar na direção da porta da sala que ficava bem em frente da minha eu a vi, estava conversando com o mesmo menino que estava com ela na entrada mas dessa vez ela não me viu. Eu não a vi nem no intervalo e nem na saida como isso aconteceu eu não entendi já que nossas salas eram de frente uma para a outra. No segundo dia eu estava decidida a falar com ela, saber o seu nome, ouvr a sua voz. Encotrei a Paty na entrada do colegio ela estava com mais duas meninas da nossa turma, ficamos de papo ali na frente mesmo pois ainda era cedo, foi então que eu a vi e para o meu espanto ela estava vindo em nossa direção.

-Ei! Voce chegou cedo!

Ela estava falando com a Patricia! Então elas se conheciam! E que voz linda...

- Pois é! Que pena voce não ter pego a nossa sala né? Vai fazer falta! Não tem como mudar?

Acho que eu estava invisivel pois nem um olhar ela lançou pra mim. Fiquei na minha.

-Acho que não. Minha mãe não deixaria, ela diz assim eu não farei tanta bagunça- Elas riram, que sorriso...

-Fala serio! Agente fazendo bagunça? Haha... Ah! Foi mal Ro- ela se virou pra mim e eu prendi a respiração- Roberta essa é a Manuela, Manu essa é a Roberta e acho que vai tomar o seu lugar na sala.

Manuela! Que nome lindo! É bem verdade que mesmo que seu nome fosse Josefina eu iria achar lindo. Ela sorriu pra mim e me olhou bem nos olhos e como eram bonitos! Verdes e brilhantes ela inclinou a cabeça e me deu um beijo em cada bochecha, deu pra sentir o seu perfume, Nossa!

- Muito prazer e seja bem vinda! Pode contar comigo pro que precisar viu?

Eu tinha que falar alguma coisa ou ela acharia que eu não batia bem e pra ajudar eu tinha certeza de que estava com cara de boba.

-Valeu! Pode ter certeza de que eu não irei esquecer isso e não esitarei em chama-la- Dei um sorriso.

Ela me olhou e abaixou a cabeça em seguida a briu a boca mais nesse momento o sinal tocou.

-Bom, eu vejo vocês no intervalo?- Patricia e eu apenas sorrimos, ela sorriu também mas não me olhou novamente murmurou um -Até depois então - e saiu.

Conversamos no intervalo sobre o meu antigo colégio elas perguntaram se eu estava saindo com alguém e eu contei do Felipe, aproveitei o assunto e fiz a mesma pergunta Patricia disse que estava de rolo e a Manuela disse que não tinha ninguem Patricia desatou a rir e quando eu pergutei qual era a graça ela apenas disse:

-Ora! Essa ai não pega porque não quer e porque é boba. Não tem um menino desse colégio que já não tenham pedido pra ficar com ela.

Fiquei quieta e ela vermelha, achei uma graça. Na saída ela me perguntou que onibus eu pegava e eu respondi que ia pro termeinal do hauer e depois pegava um alimentador, ela sorriu e me disse que iria pro mesmo lado. Descobri que tanto ela quanto a Paty moravam pro mesmo lado que eu não era extamente perto mas na mesma direção, fiquei feliz. Conversamos o caminho todo e quando fui me despedir dei um beijo no rosto da Paty e me virei pra ela olhando-a nos olhos, ela retribui o meu olhar e eu me senti invadida por sensaçao avassaladora, inclinei a cabeça e lhe dei um beijo no rosto que demorou uns 4 segundos a mais do que deveria, eu entrei no onibus e aos poucos elas foram sumindo do meu campo de vizão, no entanto aquele sorriso não me saia da cabeça.
Já estava na minha segunda semana de aula quando percebi uma coisa; eu estava pegando pesado demais com ela e não devia fazer isso, olhava-a o tempo todo e fazia elogios. Descobri durante esse tempo que Manuela era uma pessoa simpatica e adoravel com todo mundo e muitas pessoas gostavam dela, portanto não tinha como eu saber se a maneira carinhosa e atenciosa que ela falava comigo ERA somente comigo. Decidi então pegar mais leve, não queria causar algum constragimento a ela e por mais que eu fosse discreta alguem poderia notar. Passaran-se assim mais duas semanas e eu já estava mais do que acostumada com o colégio, conheci mais gente e não tinha uma pessoa na minha sala com quem eu não falasse.
Eu tinha apenas 14 anos mas ja sabia o que era sentir atração por alguém , sabia o que era desejar alguém, o que era querer alguém, mas com a manuela era diferente, eu não queria apenas beija-la mas também olhar por horas para seus lábios, não queria apenas tocar e sentir todo o seu corpo mas também abraça-la e reconforta-la, quando ela chegava perto de mim minhas mãos suavam e eu gelava mas era só ela me dar aquele lindo sorriso que eu ficava em brasa e derretia eu não tinha noção do quanto eu iria amar aquela garota, eu queria me afogar em seus olhos, me perder no seu sorriso e é por tudo aquilo que eu sentia por ela que eu decidi apenas trata-la como amiga, estar perto dela poder sentir o seu perfume e escutar o seu doce riso já era um presente.
Eu estava escostada no terminal quando ela e Paty vieram em minha direção, no mesmo horário de sempre, no mesmo lugar de sempre onde nos encontravamos para seguir até o colegio.

-Eai garota? - Paty me cumprimentou com um beijo no rosto

-Oi Paty! Oi Manu! - dei um beijo no rosto dela e senti o tão tradicional frio na barriga

- E esse violão ai?- Ela me olhava com aqueles lindos olhos penetrantes e eu me esquecia ate do meu nome, ia perguntar do que ela estava falando quando me toquei que ela apontava para o que eu estava segurando.

-Ah! É... Bom... É que como hoje é sexta e eu vou direto pra casa do meu pai para passar o final de samana lá eu estou levando o meu violão- Disse sorrindo pra ela- Não consigo ficar mais do que 1 dias sem ele.

-Eu não sabia que você tocava! Você sabia?- ela olhou para a Patricia que acenou que sim com a cabeça.

-Uau! puxa eu sempre quiz aprender! Porque você não me contou antes?- Ergui os ombros não entendi muito bem a reação dela.

Durante o resto do caminho conversamos sobre música e eu me perguntei se seria possivel eu gostar ainda mais daquela menina, alem de gentil e educada, de carinhosa e atenciosa ela ainda gostava de música tanto quanto eu. No intervalo alguns colegas da sala pediram pra que eu tocasse algo e a Patricia que adorava um fervo me fez o favor de bater no único ponto que me faria mudar ideia.

-Manu! Vem aqui! Fala pra Ro que ela tem que tocar pra gente.

Ela me olhou sorrindo e disse:

-Toca Ro, eu ia adorar!

Pronto! Cedi né? Eu gostava de tocar pra mim, sozinha, morria de vergonha de tocar em público. Peguei o violão e o tirei da capa, sentei em uma carteira e logo estava rodeada de gente e com ela bem a minha frente, senti que suava frio com a boca seca pensei em uma música qualquer, ok! Talvez não tão qualquer assim...

-Cantem comigo ok? Não quero quebrar todos os vidros da sala.- Comecei a tocar

Você apareceu do nada...

(Tomei coragem e olhei pra ela e continuei)

E você mexeu demais comigo

Não quero ser só mais um amigo...

( Não tirei os olhos dos dela tentei sorrir enquanto tocava)

Você nunca me viu sozinho

E você nunca me ouviu chorar

( O pessoal começou a cantar junto no refrão e foi um alivio pra mim, achei que ia perder a voz)

Não dá pra imaginar quando

É cedo ou tarde demais

Pra dizer adeus, pra dizer jamais

É cedo ou tarde demais

Pra dizer adeus, pra dizer jamais...] => PRA DIZER ADEUS - TITÃS

Quando a música acabou eu olhei pra ela com uma ansiedade sem tamanho. Enquanto todos aplaudiam eu busquei o seu olhar e percebi que estava em mim, senti um arrepio subir pela coluna, nos seus olhos um brilho estranho, ela me olhava de um jeito diferente e de repente sorriu, e aquele sorriso fez meu coração dar um descompasso. Meu Deus o que aquilo significava? Aquele sorriso, aquele olhar? E agora?

CLUMSY- FERGIE

[...First time
Na primeira vez

That i saw yours eyes
Que eu vi seus olhos

Boy you looked right through me, mmmhm
Garoto(GAROTA) , você sacou qual era a minha

Mmmhmmmm

Play it cool
Fiquei na minha

But i knew you knew
Mas eu sei que você sabia

That cupid hit me , mmm mmm
Que o cupido me pegou, mm mmm...]

http://www.youtube.com/watch?v=W12zjlvPCZU

domingo, 26 de outubro de 2008

MÃOS A OBRA....

Sobrou pra mim, claro! Como a minha mãe e o meu irmão trabalhavam e eu estava de ferias a arrumação de tudo ficou por minha conta, abrir caixas, montar coisas... Ufa! Se você acredita nessa parada de horóscopo fica a informação de eu sou de Sagitário e na verdade eu nunca me liguei muito nisso mais recentemente eu li uma descrição sobre esse signo que bateu muito comigo, ou a pessoa que escreveu conhecia alguém que tinha uma personalidade igual a minha ou eu não sei. Agora se você me perguntar se eu leio o meu horóscopo todos os dias e tento fazer o que diz e esperar que o que esteja escrito aconteça a resposta é... NÃO tudo tem o seu limite certo? O meu é esse se alguém vai alem não é da minha conta. Enfim, uma dessas descrições é a de que as sagitarianas DETESTAM trabalhos domésticos VERDADE! Eu pelo menos odeio ( se alguém de sagitário que ler isso for diferente eu adoraria saber) então da pra imaginar a minha disposição né? Mas ate que não foi tão ruim afinal eu estava muito feliz em morar naquela casa.
Após três dias limpando o quintal, limpando janela e tirando milhões de coisas de milhões de caixas eu finalmente pude dar um pouco de atenção ao meu futuro quarto, não tinha muito o que eu pudesse fazer a verdade era que eu tinha que comprar muitas coisas se quisesse deixa-lo habitável o problema? Eu não tinha grana! E só tinha 14 anos não seria muito fácil encontrar um trabalho. Como empregada nem pensar eu provavelmente iria destruir a casa ou ser mandada embora no, primeiro dia, como babá talvez, a questão era achar alguém que confiasse a mim os cuidados do seu filho já que tinha acabado de me mudar, minha mãe era separada e bem, a nossa família nunca foi muito convencional e pude notar que naquele bairro moravam muitas mulheres amarguradas que falavam mal dos outros já no café da manha. Mas depois de duas semanas um senhor muito gentil me contratou para trabalhar com ele no seu mercadinho-mercearia-frutaria-lojinha vocês sabem né ? aqueles lugares em que agente encontra de tudo e nunca sabe definir bem o que é, na verdade eu acho q nem mesmo o dono sabia. Como eu não aparentava ter apenas 14 anos ele achava que não teríamos problema e que qualquer coisa eu me passaria por neta dele que apenas estava dando uma mão. Então esse foi o meu primeiro emprego!!! Super!!! Não era ruim o Dono era um fofo e a mulher dele também estavam casados a 40 anos, credo! Mas se gostavam muito ainda e se tratavam com muito carinho... Com o primeiro salário eu comprei massa pro reboco e uma janela, o meu irmão me ajudou e nossa como é difícil por uma simples janela! Posso dizer que ficou uma merda, viramos e desviramos e no final ficou toda torta sem falar que ficou cheia de massa dos lados... Rebocamos as paredes e eu preferi deixar uma "ao natural" ficou legal deu um contraste. Pintamos e ficou lindo! Só que vazio... Sim porque eu não tinha cama nem nada, arrumei la umas coisas minhas e aos poucos fui dando a minha cara, fiz daquele o meu cantinho onde eu lia e tocava violão, mesmo sem mobília eu gostava muito daquele quarto.
Fevereiro se foi e Março foi chegando e junto com ele as minhas aulas, eu iria começar o ensino médio em um novo colégio, não teria amigos a principio mas estava ansiosa de um jeito bom. Deixei assim como a casa de meu pai, meus amigos do antigo colégio e ate um namoradinho, a verdade era que eu estava aliviada em deixa-lo. O Felipe era um daqueles meninos que acham o tal e que por serem bonitos acham que são melhores que os outros, chamava a atenção por responder os professores e não dar valor as regras do colégio ia mal nas matérias e sempre estava no meio de alguma briga. Eu nunca fui de ficar com alguém no colégio, não porque eu era do tipo santinha pelo contrario, apenas evitava porque sempre acabavam por falar alguma coisa de alguém que não era verdade. Por gostar de varias coisas eu conhecia quase todo mundo, jogava futebol e volei e tocava violão no intervalo, e como sempre gostei de estudar a maioria dos professores gostavam de mim. Não demorou muito e ele começou a dar em cima de mim durante um ano inteirinho, achei que no ano seguinte teria uma folga mais não, assim que me viu tudo recomeçou. Eu achava graça e ria na cara dele, e por ser extremamente lindo e charmoso um dia quando todo o colégio saiu mais cedo e eu demorei um pouco mais pra sair ele me esperou e sem mais nem menos me deu um beijo. Quando estávamos sozinhos ele era super fofo mas dava muita importância ao que os outros pensavam, desfilava comigo pelo colégio como se eu fosse um troféu, afinal eu não dava bola pra ninguém e tinha muitos admiradores ele foi um dos poucos meninos com quem eu fiquei durante o tempo em que estudei lá.Com o tempo eu fui me cansando, nosso namoro durou 2 meses e eu tive que aguentar ele correndo atraz de mim o resto do ano, dei Graças a Deus por mudar de colégio.

Pink - U + Ur Hand

[... I'm not here for your entertainment
Eu ñ estou aqui para a sua diverção
You don't really want to mess with me tonight
Vc realmente ñ quer se meter comigo essa noite
Just stop and take a second
Apenas pare e pense um segundo
I was fine before you walked into my life
Eu estava bem antes de vc aparecer na minha vida
Cause you know it's over Before it begins
Porque vc sabe q acabou antes msmo de começar
Keep your drink just give me the money
Pegue a sua bebida e apenas me de o dinheiro
just you and your hand tonight
SÓ VC E SUA MÃO ESSA NOITE...]



Só posso dizer que eu AMO a Pink.
Felipe se fosse naquela época com certeza eu cantaria essa música pra você...
Segue o clip oficial com tradução pra quem quiser escutar a música e por favor, destaque pra motoqueira... Canta ai Pink!!!
http://www.youtube.com/watch?v=yKYPwWU9TVY

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

POR-DO-SOL EM CURITIBA...






Dia 08 de Fevereiro de 2002. Me lembro desse dia porque fez um belo dia de sol. Me lembro desse dia porque quebrei um dedo da mão e levei 7 pontos, ainda agora enquanto digito posso ver a cicatriz. Me lembro desse dia porque foi um dia de mundanças na minha vida, digo no plural mesmo e a primeira foi literal.


Minha mãe, meu irmão e eu estavamos deixando a casa do meu pai, eu sei que é pouco comum a mulher sair com os filhos e o marido ficar com tudo, mas eu não estava nem ai! Só queria paz! E ate porque eu nunca senti aquela casa como minha, não sentia em deixa-la. Durante anos minha mãe apanhou e escutou coisas que não merecia ouvir, foi abusada pelo proprio marido sofreu em silencio, uma mulher que deu duro a vida inteira não precisava daquilo. Com o meu irmão e comigo ele sempre foi um bom pai, nunca nos bateu mas posso contar nos dedos da mão do lula as vezes em que tivemos uma conversa de pai e filha. No dia seguinte as brigas, ele agia como se nada tivesse acontecido e até hoje eu não sei se ele realmente acreditava que não sabiamos o que acontecia quando as luzes se apagavam as portas eram fechadas e nossa mãe nos dava boa noite com beijos nervozos e na manha seguinte nos dar bom dia com os olhos inchados de chorar e tristes. Não sei se ele sabia que durante aquelas noites não durmiamos, ficavamos imoveis no escuro rezando para que se fizesse silencio e ao mesmo tempo temendo o seu motivo. Apos anos de submissão minha mãe finalmente tomou a atitude pela qual durante anos eu ansiara, eu entendo a sua demora afinal tinha dois filhos dos quais por nada no mundo abriria mão. Minha mae trabalhou durante anos como domestica e a Dona Ana para quem ela trabalhou uns anos passou de patroa a amiga, e nos cedeu uma casa na qual a sua filha planejara morar depois de casada mas se divorsiou 1 mes e meio apos o casamento e foi embora para São Luiz. Lembro-me da primeira vez que vi a tal casa um dia antes, seu portão torto, sua fachada desgastada e seu quintal invadido por plantas e mato. A tal filha resolvera reformar primeiro a parte interna da casa e quando vi o banheiro com ajulejos alvissimos e a cozinha ja pintada e ajulejada, o quarto do casal pintado com um lindo tom pastel e o outro quarto achei que estivesse em outra casa. O marido da moça era fotografo e começou a contruir na parte de cima da casa um quarto que funcionaria como estudio, seu acesso se dava por uma escadinha escondida por uma porta , como eles planejavam construir apenas mais uma varanda com churrasqueira na parte de cima o quarto era bem amplo, não era muito alto, tinha um pequeno banheiro e notava-se uma uma unica janela devido a um buraco na parede toscamente tampado por um plastico. Eu adorei aquele quarto, não tinha janela, as paredes estavam sem reboco ou pintura, era uma tela em branco.

Voltando ao dia das mudanças, acordamos as 6h30 da manha, tinhamos dormido os 3 em uma cama de solteiro no meu antigo quarto, decidimos não leva-la porque foi meu pai que a comprou, na verdade tudo que não estava no nome da minha mãe ou do meu irmão, ele alegava que era dele, independentemente se alguem ajudou a pagar ou pagou tudo, como era o caso da geladeira e do jogo de sofa. Pensando pelo lado positivo não precisavamos pagar um carreto grande ja que todas as nossas coisas caberam em um caminhão baú pequeno e em uma unica viagem. Como tinhamos uma cachorra e não tinhamos carro alguem tinha que ir dentro do caminhão com ela, e quem foi? 3 chances! o lula?! Não... O meu pai?! haha essa foi boa... Não! Ultima chance! Sim eu! E no meio do caminho não tinha uma pedra mais sim um ciclista! que se atrvessou na frente do caminhão e o motorrista pra não bater nele freiou bruscamente, o que assustou a minha cachorra e a mim, nós que caimos, rolamos e em cima de mim ( ja que ela foi esperta o suficiente e não ficou estatelada no mesmo lugar) caixas e mais caixas e uma delas bem em cima da minha mão ocasinando um dedo quebrado e um corte feio. => DICA: nunca viagem literalmente como bagagem, pode fazer mau a saúde! Eu não aconselho, não é prudente...

Eu ouvi apenas uma voz perguntando se eu estava bem, era o motorista. Achei muito gentil da parte dele berrar essa pergunta logo após xingar ate o antepassado indígena do ciclista. Afinal pra que parar, descer e ver se por acaso eu não estava desacordada e submersa por caixas... Gritei um - Eu to legal! Valeu! Seu filho da mãe barbeiro, cego e pé-de-ferro! Bem deve estar a sua mãe dando a bunda pro capeta la no inferno!! ( ok! eu parei no Valeu o resto foi dito mentalmente enquanto afastava a caixa da minha mão)

A segunda vez em que vi a casa foi 5 min depois, fiquei sorrindo olhando aquela fachada velha, a grama alta e sentindo como se finalmente estivesse em frente a minha casa! Meu Lar Doce Lar! Não tínhamos geladeira, pia, sofá e mesa, eu não tinha cama e iria dividir o quarto com a minha mãe, tínhamos uma tv q o meu irmão comprou quando começou a trabalhar e uma tv velha pra kct, a caixa era de madeira e era enorme e não tinha controle remoto, a imagem variava de canal pra canal e também de quantos chumaços de bombril colocava-se na antena.

Mas eu não estava dando a mínima! Estava feliz com esperança e paz... Ai Ai... Na verdade esse meu sentimento durou apenas uns 5 min já que a minha mãe que veio de moto com o meu irmão viu minha mão toda cheia de sangue e correu em minha direção gritando com se eu estivesse morrendo. Eu tinha me esquecido do machucado... Mas doeu pra caramba...hum..

Mudança! È nisso em que penso ao lembrar desse dia porque EU mudei. Mudei a minha forma de ver o mundo, eu tive que abrir mão de muitas coisas, eu tive que crescer a aceitar de uma vez por todas que o meu pai não prestava e que não merecia nem mais uma sacrifício nosso. E foram tantos! Tantas chances Jogadas no vazo! Anos de nossas vidas que foram merda abaixo! Lágrimas, tristeza sentimento de incapacidade tudo isso deixados pra traz, que o velho ficasse coma bendita casa que ele tanto presava, que ande pelos comodos vazios lembrando de quando jogava na cara da minha mãe que o meu irmão e eu nunca iríamos preferir morar em qualquer muquifo quando tínhamos uma casa "nossa". Aproveite a sua casa pai, tente comprar uma vaga no céu com ela.

Eu me lembro desse dia porque foi importante. Me lembro do por-do-sol lindo ao final da tarde. Me lembro do presente que ganhei do motorista por ter machucado a mão e o coitado nem teve culpa. Me lembro de como eu me senti ao levantar pela manha ( na verdade foi com dor nas costas) e em como me senti quando fui dormir. Se eu soubesse o tanto de coisas que aconteceriam nos próximos dias, que iriam mudar a minha vida, que iriam motivar a criação desse blog... Pensei melhor no "inicio de tudo" ao qual me referi no primeiro post e bem se te interessa, o dia 08 de Fevereiro foi o começo de tudo...


MUNDO SECRETO - MUDANÇAS

[...Sento me no sofá depois de um dia atribulado

Encosto me para trás suspirando de cansaço

Numa folha escrevo versos sobre o dia que passou

E versos são riscados quando sou o que eu não sou

Esta na hora de mudar de mudar o que há de vir

Esta na hora de pensar e não pensar em desistir...]

http://br.youtube.com/watch?v=sCmHqtBDYW4

domingo, 19 de outubro de 2008

PORQUE A CHUVA LAVA A ALMA...

Ontem, Sábado dia 18 choveu o dia inteiro aqui em Curitiba, desde a madrugada de sexta-feira choveu muito. Após ter desligado o pc fui assistir o filme da globo, mesmo tendo-o visto pelo menos umas 20x eu não resisti e as 1h10 o filme foi interrompido dando lugar a noticia que infelizmente não foi surpresa, apenas triste. Ah! o nome do filme? kil Bill ( ironia ou coincidência?) isso não importa Eloá teve morte cerebral aos 15 anos de idade, e após o efeito da noticia percebi que a chuva cessara, parou porque já tinha cumprido o seu papel lavou e levou a vida de uma menina. Não acho isso ruim já que acredito que ela com toda certeza está melhor agora longe da sujeira e da devastação que assim como a chuva, em alguns casos, as pessoas também deixão...

Como ultima forma de protesto não canso de me perguntar porque que esse mundo é tão injusto? pergunta comum eu sei, mas é nela que penso na minha ainda presente crise emocional. Durante o caso da menina Isabella ouvimos a todo o momento o quão ativa as autoridades foram, usando de tecnologia americana, recursos não sei da onde, profissionais treinados, etc. Então me lembro da "calma com que esse caso foi tratado, os policiais pereciam atados e cegos a soluções simples e óbvias como granadas de gás e me pergunto se não tinha uma hora melhor para entrar no apartamento quando por exemplo o rapaz estivesse no banheiro porque uma hora ele teria que ir não?

Mas agora não adianta ficar remoendo o passado e hoje faz um lindo domingo de sol em Curitiba você acha estranho? Então não conhece Curitiba...

Bom como disse minha colega blogueira Afrodite( obrigada pela visita) Outubro ainda não acabou e como eu sou uma amante de esporte sinto-me feliz com a vitoria do futsal masculino pela copa do mundo, foi uma vitoria emocionante.
Resolvi preparar um empadão para o almoço e comecei a faze-lo as 10h30 da manha, e só o coloquei pra assar a 1h30 da tarde, culpa do jogo que alem do drama do tempo normal me fez sofrer na prorrogação e nos penaltis e se não bastasse quase quebrei um dedo ao derrubar o rolo de macarrão no pé devido a um lance de quase gol... Uffa! me recordei dos tempos em que jogava no colégio, conquistei alguns títulos regionais e uns estaduais com o time da escola... Bons tempos...


É claro que o titulo do Brasil não se compara com o pesar do ocorrido com Eloá mas se eu apenas me ater nas tragédias ocorridas no e com o Brasil, vou enlouquecer. E como disse um sábio provavelmente em um momento de epifania " O Brasil é o pais do futebol, cerveja e mulher gostosa" Não gosto muito de cerveja mas não vejo mal em aproveitar os outros dois se é isso que de melhor o pais tem a me oferecer farei o sacrifício...
E claro, guardo luto por Eloá e rezo pela sua e familia... E pela minha...

Fico a esperar o dia em que não será mais necessário que eu espere pelo escuro pra me sentir melhor... Segue uma música da Pitty, cantora que eu admiro pela audácia de cantar o que sente sem se preocupar se vai fazer sucesso ou não. E se você entende a letra identifica-se onde menos espera. Tive a oportunidade de conhece-la e falar com ela nas duas vezes em que ela fez show na Hellooch onde eu faço bico, e minha admiração só fez crescer. Alem de linda é muito simpática...




NO ESCURO - PITTY

[...Quando tá escuro, tanto faz que cor tem

Quando tá escuro, só valem as palavras

Quando tá escuro, ninguém repara as minhas meias..]



http://br.youtube.com/watch?v=-kG0OsUmgPc

SE ELA CANTA BEM? ME DIGA VOCÊ. Tudo é relativo...
Enfim, Bom Domingo e com licença mas vou comer o empadão do almoço que acabou sendo quase que pro jantar...

sábado, 18 de outubro de 2008

QUANDO OS SONHOS SE TORNAM PESADELOS...


Resolvi dar um tempo na minha busca interna e postar a minha indignação perante os últimos acontecimentos. Quando sentei na frente do computador a alguns minutos, tinha em mente o objetivo de continuar a minha história. Mas não consegui e me senti egoísta em tentar, como de costume deixei a tv ligada no canal de noticias 24h onde o drama de uma menina de apenas 15 anos vem assombrando todo o país na ultima semana. Confesso que durante o sequestro tentei me manter apenas como espectadora achando tudo aquilo uma verdadeira palhaçada, calma eu explico, eu realmente não entendia a comodidade da policia, durante todo o tempo em que o rapaz estava primeiro com as duas amigas e a ex namorada e depois com Elóa e com Nayara os ditos "cumpridores da lei" o estavam alimentando e dando agua atravez de uma tosca cordinha passada pela janela e então eu me pergunto -Por que não colocar um remedio pro rapaz dormir diluído na agua ou na comida? e dai se as meninas tomacem também, não seria veneno. E em momento algum esse rapaz dormiu? Em 90 hrs? Apenas é possível implantar escutas e entrar silenciosamente e sorrateiramente em locais nos filmes e séries americanas? Pelo descredito que os policiais davam ao rapaz eu julgava que era um caso simples e que teria um final simples.

Bom, uma hora eu tinha que acordar do sonho não é verdade? Não vou perder o meu tempo divagando sobre os motivos que levaram esse rapaz psicótico a cometer tal ato, em vez disso eu gostaria ou melhor, eu irei escrever sobre a coadjuvante dessa historia, não tenho a intenção de menosprezar o que aconteceu a menina Elóa mas fiquei realmente impressionada com a coragem da amiga dela, Nayara também com apenas 15 anos. Imagino que quando o rapaz invadiu a casa de Elóa e tinha então 5 reféns a sua disposição liberou primeiro os dois meninos por motivos óbvios mas e depois? O que o levou a soltar a outra menina primeiro?Talvez o mesmo motivo que levou Nayara a retornar ao cativeiro da amiga após ter sido libertada, ninguém poderia julga-la se ela não aceitace afinal era a vida dela que estava em risco, imagino o desespero da mãe da menina ao ver a filha retornar as garras daquele louco. Pelo que eu acredito ser amor a amiga ela se pôs a mercê da sorte. Temos então dois exemplos distintos de amor pela mesma pessoa. enquanto Lindemberg nutria por ela um amor doentio e punha-se disposto a mata-la, Nayara demonstrou um amor puro e humano para com sua amiga colocando sua vida em jogo. Dois extremos de um sentimento tão banalizado a muito tempo, ao ver a atitude dessa menina renovo a minha esperança já quase extinta. Quando penso em amor não me vem a cabeça a história daquele carinha que pediu a namorada em casamento durante um pulo de para-quedas mas sim atitudes como a de Nayara ou como a de uma mãe que pula no rio mesmo sem saber nadar pra salvar o filho. Não digo que Nayara nutria por Elóa mais do que um sentimento de amizade, seu gesto de amor vai alem disso.

Quanto ao rapaz tão covarde foi, que após ver seu plano sendo literalmente invadido pela policia saiu ileso, mesmo tendo tempo de dar um tiro na própria cabeça, não eu não acho que essa seria a melhor saída, pois acredito em Deus e tenho fé de que ele terá o seu julgamento no momento certo. No entanto não posso deixar de notar que tal atitude do rapaz só reforça o fato de que a intenção dele era clara desde o inicio, o tempo em que ele a manteve em cativeiro fazia parte de seu joguinho tenebroso. Tento não pensar no que ele fez a menina no período em esteve com ela sozinho ou não e até mesmo à Nayara.

E agora que as cortinas se fecharam, temos o GRAN FINALE! o psicopata louco indo passar ferias pagas com dinheiro público e isso somente porque é desprovido de recursos financeiros, caso contrario agora estariam alegando que o rapaz estava passando por uma crise emocional que o privara de pensar e agir racionalmente e ao final seria Absolvido. Talvez eu esteja sendo demasiadamente dramática, mas no momento estou passando por uma "crise emocional" que não me deixa pensar de outra maneira. Temos Elóa em coma no hospital com uma possível morte cerebral devido a perca de massa cefálica, e se por um milagre ela sobreviver seria privada de uma vida saudável e por que não dizer completa aos 15 anos de idade. Nayara recuperasse bem, as duas com danos físicos e emocionais, Elóa entre a vida e a morte, Nayara fadada a uma vida de lembranças e pesadelos, graças a Deus dessa história ela foi a menor das vitimas.

Em nosso pesar devemos dar lugar também ao sofrimento das famílias dos envolvidos que não tem culpa e sofrem tanto ou mais e impossibilitados de interferir...
E agora convoco a todos para que se levantem e aplaudam esse belo espetaculo trágico e que antes de saírem rezem para que um dia essas historia não estejam mais em cartaz, se não acredita em Deus tente renovar a sua esperança em nosso planeta...

Por fim termino dizendo que essa é a minha opinião, o meu ponto de vista. Certo ou errado é a maneira que eu vejo essa trágica história, não tenho a intenção de julgar ninguém não me cabe esse direito, somente espero que a justiça seja feita.

Esse foi o caso que assombrou o país, o mundo, ou melhor, os providos de sentimentos esse mês. Em Novembro veremos outro capitulo de atrocidades cometidas por seres humanos, essa descrença me torna pessimista, é verdade, mas como uma justificativa simploria deixo uma pergunta no ar - Alguém se Lembra de Isabella Nardone? ou de Elisabeth F a mulher mantida presa pelo pai Josef F em Amstetten, abusada durante 20 anos e tendo tido 6 filhos dele? Posso citar um por mês desde o inicio deste ano...

Sonho com o dia em que apenas teremos noticia de atitudes como a de Nayara...

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

COISAS QUE EU SEI....

A idéia de escrever um blog surgiu quando uma notícia, um comunicado ou melhor, uma novidade fez com que eu pensasse em toda a minha vida. Lembrar apenas não me bastou resolvi então, escreve-las. E aqui estou eu, na frente do computador, fragmentos de lembranças passando em minha mente sem terem necessariamente um começo.
Antes de chegar na noticia que me levou a criar o blog o que considero o final da história, vou relatar o começo (q lógico!) de tudo. Não me refiro ao meu nascimento apesar de esse ser o começo ou seria a minha concepção? Enfim, isso não é relevante, nesse primeiro post resolvi apenas falar um pouco de mim resumindo sou Roberta Saviñon, 19 anos, estudo Arquitetura e Urbanismo na Puc, trabalho em vários empregos dentre eles o de motogirl, dj e chapeira e eu adoro, não tenho um chefe pegando no meu pé, se não estou afim não vou trabalhar, faço os meus horários e como recebo por trabalho sempre tenho um dinheirinho. Eu sei que esse tipo de trampo não me da segurança como carteira assinada, seguro desemprego e fundo de garantia, mas para uma estudante é perfeito e repito Eu adoro....
Moro com a minha mãe e o meu irmão, adoro música amo música não vivo sem música, toco violão, guitarra e bateria e ainda quero mandar bem no violino e no sax, são instrumentos sem muita conexão eu sei, mas adoro rock tanto quanto jazz. Me apaixonei muitas vezes mais só amei uma e na verdade ainda amo, talvez amarei por toda a minha vida. Através desse blog espero por os meus pensamentos e sentimentos em ordem, conseguir ir em frente e viver a minha vida da melhor maneira possível aproveitar as oportunidades da vida e obter o máximo de prazer que ela pode oferecer. Se é o passado que busco ao escrever aqui é no futuro que penso e de preferência, um futuro com você minha linda... (sim tem uma garota, na maioria das vezes tem. Ah o amor!)
Certas músicas quando escutamos nos transportam no tempo, pro passado e até mesmo pro futuro. Viajamos literalmente em meio a letra e a melodia.
Uma música pode dizer um pouco sobre mim, se interpretada da maneira certa. A cantora é linda e tem uma boa voz, o clipe não é dos melhores mas tem o seu charme....

http://br.youtube.com/watch?v=xBdqjgb9UaM


Danni Carlos - Coisas Que Eu Sei

[...Coisas que eu sei

O medo mora perto Das idéias loucas

Coisas que eu sei

Se eu for eu vou assim

Não vou trocar de roupa

É minha lei..]